Jul 23
Guiné-Bissau: Militares desautorizam e agridem polícias em frente à CNE PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por kamba de almeida   
Terça, 21 Fevereiro 2012 11:16

Guiné-Bissau: Militares desautorizam e agridem polícias em frente à CNE

Bissau - Uma marcha política, fora do conhecimento das autoridades policiais, protagonizada pelo candidato Presidencial Braima
Djalo, culminou num incidente em frente ao edifício da Comissão Nacional de Eleições (CNE).

Enquanto a Polícia de Intervenção Rápida (PIR) continha a fúria dos manifestantes, que queimavam pneus em frente à CNE, um grupo de tropas do Exército interveio, detendo e espancando os policiais que tentavam repor a ordem.

Os manifestantes protestavam pelo facto de não poderem votar nas Presidenciais de 18 de Março, por não estarem recenseados, dado que a CNE não conseguiu actualizar os cadernos eleitorais, devido a um imperativo constitucional.

De acordo com a lei, as Eleições Presidenciais devem ter lugar no prazo de sessenta dias após o impedimento do Presidente da República em exercício, período considerando muito curto para CNE.

A Comissão chegou a avançar duas datas para a realização do escrutínio, Abril ou Junho, para permitir o recenseamento das pessoas que atingiram a idade de votar. No entanto, medida não foi aceite pelos actores políticos.

O incidente, tal como foi considerado pelas autoridades guineenses, está ultrapassado, depois da intervenção da ministra da
Presidência do Conselho de Ministros, Maria Adiato Djalo Nandigna, que actualmente detém a chefia do Governo, junto ao Estado-maior General das Forcas Armadas.

(c) PNN Portuguese News Network

 

 

Deixar comentário